A verdade por detrás do abate no voo MH17

Prezados Amigos,

Escrevo a vocês aqui não como presidente da Câmara Brasil-Rússia, mas como cidadão brasileiro e “do mundo”, que desenvolveu algum discernimento sobre as questões geopolíticas atuais, não apenas por minha formação como advogado especializado em Direito Internacional, mas principalmente por vir atuando na área de Comércio Exterior desde 1984, naquela época ainda com apenas 20 anos, e em atividades com a Rússia a partir de 1988 (desde a URSS, residi em São Petersburgo por 4 anos).

A “Nau Russa” Seguirá em Frente

Desde a cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos de Inverno de Sotchi, há duas semanas, estou para escrever a respeito de minhas últimas impressões sobre aquele país, com o qual tenho o prazer de trabalhar desde 1988. Cheguei lá praticamente de “calças curtas”, como pequeno empresário de comércio exterior (atuava exportando café solúvel e achocolatados), a convite do governo da ainda chamada “Leningrado”, rebatizada de São Petersburgo desde o final da URSS, em 1991.

Crise Geopolítica Global – Rússia, Ucrânia e o Brasil

"GUERRA E DEPRESSÃO"

O móvel da oligarquia financeira para desencadear guerras em grande escala, bem como conflitos localizados, é ganhar mais poder, subordinando países e regiões ao império e enfraquecendo os que poderiam conter essa expansão. 

2. Na 1ª e 2ª Guerras Mundiais, respectivamente França versus Alemanha e Alemanha versus Rússia (União Soviética), as potências angloamericanas só se engajaram com intensidade, no final, para ocupar espaços, estando aqueles contendores desgastados.